Antecipado o fecho da central termoelétrica de Sines. Equipamento encerra hoje

Central Termoelétrica

Encerra hoje, 15 de janeiro, a central termoelétrica de Sines, no Alentejo Litoral, antecipando-se à data prevista devido à deterioração das condições de mercado.

Com este encerramento, inicia-se agora a desativação total do equipamento, para posteriormente ocorrer o desmantelamento da infraestrutura com 35 anos.

De acordo com a informação da REN, com uma potência instalada de 1.256 MW, a central a carvão de Sines chegou a abastecer um terço da eletricidade consumida em Portugal, no início dos anos 90, e foi perdendo peso com o crescimento das energias renováveis, tendo assegurado apenas 4% do consumo elétrico em 2020.

Segundo avança a Agência Lusa, citando uma fonte da EDP, está a ser negociado com os 107 trabalhadores diretos desta central “um conjunto de diferentes opções”, desde a passagem a reforma ou pré-reforma ou o acesso a oportunidades de mobilidade dentro do grupo EDP.

“A EDP iniciou contactos em setembro do ano passado, como planeado após o anúncio do fecho da central, para avaliarem em conjunto as diferentes opções. Esse processo […] tem decorrido com total colaboração e dentro dos prazos previstos”, refere, adiantando que “em todos os casos, a principal prioridade tem sido a de garantir que os compromissos da empresa com os seus 107 trabalhadores são integralmente cumpridos e no melhor interesse de ambas as partes”.

Em relação aos cerca de 400 trabalhadores indiretos, a energética remete esclarecimentos para as “empresas prestadoras de serviços com a quais têm contratos”.

O último dia de produção de eletricidade na central de Sines, foi na quinta-feira, iniciando-se agora desativação dos equipamentos, um processo que deverá levar cerca de cinco anos, continuando em aberto o futuro daquela infraestrutura.

Fonte: Agência Lusa