Alter do Chão recebe International Horse Summit em Abril de 2020, um evento para “tornar a nossa região numa referência internacional” (c/som e fotos)

Alter do Chão anuncia o Alter International Horse Summit em Abril de 2020.

Este anúncio foi feito hoje, dia em que inicia-se a Feira de São Marcos, e tem por objectivo ajudar a impulsionar ainda mais o fluxo turístico doméstico e internacional e a marca Portugal.

O município pretende também incluir o turismo equestre na vasta oferta turística que Portugal oferece aos seus visitantes.

Em Alter espera-se, assim receber especialistas de referência nacional e internacional para discutir a Economia do Cavalo.

A cerimónia de apresentação deste certame decorreu no Castelo de Alter do Chão e contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Francisco Reis e da Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, para além de outras entidades e parceiros do evento.

ODigital.pt falou com o Presidente da Câmara Municipal de Alter do Chão, Francisco Reis, que começou pro referir que “é um projecto em que vamos colocar um conjunto de pessoas ligadas aos cavalos (estudiosos, investigadores, economistas, criadores, treinadores, negociantes, toda a gente ligada ao cavalo) a discutir o que significa o cavalo para o nosso território e para o país em termos económicos e com base nisso catapultar a nossa região e o país naquilo que entendemos que é o negócio do cavalo.

O autarca acrescentou ainda que “o que nos interessa a nós é tornar a nossa região numa referência internacional daquilo que é o cavalo no seu valor acrescentado e isso inclui todos aqueles que o pensam, o estudam e o concretiza e isso vai trazer riqueza para o território, trazer investidores e criar postos de trabalho. E nós o que queremos fazer? Parar a desertificação. Se conseguirmos estagnar a desertificação, acho que conseguimos o nosso objectivo.

Francisco Reis referenciou ainda que “coudelaria nunca esteve afastada [de Alter do Chão] e agora ainda menos vai estar. Há um cordão umbilical, uma ligação contínua, como disse a Sec. Estado do Turismo, penso que não adiantar estar mais a repetir. Vamos ter um conjunto de iniciativas em que a entidade promotora é o município, com o Estado, entre a Coudelaria, a Companhia das Lezirias, os nossos parceiros, os nossos empresários.

Sobre o impacto deste certame para a economia local, o edil salientar que “tudo vai beneficiar e tudo vai ter negócio com isto. Acho que tudo vai crescer, mas demora tempo. É como uma planta, semeia-se, ela vai ter de germinar e concluir. Vai ser o nosso futuro. Quem é que diria por exemplo que o Web Summit passaria de 400 para 5 mil? Se passarmos de 3 mil para 30 mil, 40 mil ou 100 mil concretizamos o nosso objectivo.”