Terça-feira, Dezembro 6, 2022
Pub

Almodôvar: “Não obrigo ninguém a estar de acordo comigo”, diz autarca ao retirar confiança política à vice-presidente

- Publicidade -
- Publicidade -

O presidente da Câmara de Almodôvar (Beja), António Bota, eleito pelo PS, afastou hoje da vice-presidência do município a vereadora socialista Lucinda Jorge, por “falta de confiança política”, após divergências entre ambos na concelhia do partido.

Em comunicado, o autarca alentejano informou ter assinado hoje o despacho de cessação de funções de vice-presidente do município exercidas até agora pela vereadora Lucinda Jorge, justificando a decisão com “razões inteiramente políticas”.

“A falta de confiança política levou-me a tomar esta decisão, sendo que a restante vereação do PS corrobora esta tomada de posição”, sublinhou, no documento, o presidente da Câmara de Almodôvar.

Contactado pela agência Lusa, António Bota indicou que, nas eleições para a Concelhia de Almodôvar do PS, marcadas para o próximo dia 07 de outubro, Lucinda Jorge decidiu não integrar a sua lista e liderar uma outra.

“Ela tem esse direito, assim como eu tenho o direito em não confiar e retirar-lhe a confiança política” na câmara municipal, sublinhou.

O autarca e também presidente da Concelhia de Almodôvar do PS assinalou que Lucinda Jorge exercia, até agora, “um cargo de extrema confiança política” no município, pois era a sua “número dois e a pessoa em quem depositava total confiança”.

“Após várias tentativas de consenso sobre alguns assuntos, não foi possível chegar a um entendimento e não vejo viabilidade de manter ao meu lado, como meu braço direito, uma pessoa que politicamente está a formar uma lista opositora”, disse.

Lembrando que os dois sempre estiveram juntos nesta estrutura socialista, António Bota revelou que, agora, houve divergências entre ambos e que tentou “encontrar consenso por diversas vezes”, mas sem sucesso.

“Não obrigo ninguém a estar de acordo comigo, naturalmente, mas também não sou obrigado a estar com quem irá contra mim e isso reflete-se no trabalho da câmara. Há uma perda de confiança política e, consequentemente, uma perda de funções de representação total da minha pessoa”, acrescentou.

A Lusa tentou contactar a vereadora Lucinda Jorge, mas as várias tentativas revelaram-se infrutíferas.

António Bota cumpre o seu terceiro e último mandato à frente do município, depois de, nas autárquicas de 2021, ter vencido com maioria absoluta (quatro eleitos do PS contra um do PSD).

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

Mais notícias

Estremoz: Piscina municipal coberta reabre após fecho devido a bactéria “Legionella”

A piscina coberta municipal de Estremoz (Évora) reabriu hoje, depois de ter sido encerrada temporariamente ao público após deteção da bactéria “Legionella” neste complexo...

Mundial2022: Estudantes universitários vibram em Évora com vitória de Portugal

As centenas de estudantes da Universidade de Évora (UÉ) que encheram hoje a sede de um clube da cidade, no centro histórico, vibraram com...