Aljustrel vai ter quase 7,3ME para parque habitacional “de qualidade”

Habitação aljustrel

A Câmara de Aljustrel (Beja) anunciou hoje que vão ser investidos quase 7,3 milhões de euros na melhoria do parque habitacional do concelho, graças a um protocolo com o Instituto da Habitação e da Reabilitação (IHRU).

O acordo de colaboração entre o município e o IHRU, assinado na quarta-feira, naquela vila alentejana, diz respeito à concretização da Estratégia Local de Habitação (ELH) e envolve um investimento de 7.282.095 euros.

Segundo a câmara, em comunicado enviado hoje à agência Lusa, a ELH de Aljustrel “foi concebida para dar resposta aos desafios atuais e de futuro”, abrangendo “diversas áreas de atuação” e “traduzindo-se na efetivação de um parque habitacional ajustado, atrativo, acessível e de qualidade para todos” no concelho.

Aljustrel surge “entre os primeiros” municípios do país a assinar este acordo, depois de ter elaborado a ELH “com a colaboração das juntas de freguesia e das instituições particulares de solidariedade social” (IPSS), salientou.

A câmara municipal acrescentou que o documento reflete “as necessidades que foram identificadas” através de um questionário realizado à população, englobando “a visão de uma ‘nova geração de políticas de habitação’”.

Esta estratégia dota ainda o município de um instrumento capaz de dar resposta às necessidades atuais, mas que antecipa cenários que podem vir a colocar-se muito em breve”, reforçou.

A ELH vai permitir “reabilitar edifícios já existentes e potenciar a construção de novos fogos”, de acordo com a autarquia.

Uma medida que, frisou, irá fomentar “a aquisição ou o arrendamento a preços mais controlados” nos “núcleos urbanos das vilas e das aldeias”, assim como responder “às necessidades de alojamento existentes”.

A Câmara de Aljustrel revelou também que, no planeamento da ELH, “ficou identificada ainda a urgência de criação de ‘casas função’, para a fixação de nova população neste território”.

 A estratégia prevê igualmente “uma resposta a pessoas em situação vulnerável, nomeadamente vítimas de violência doméstica, num projeto que pretende contar com a colaboração de uma IPSS do concelho de Aljustrel”, acrescentou.