Alentejo registou em janeiro um decréscimo de 7,8% no número de fogos licenciados em construções novas

Obras

De acordo com os dados recentemente divulgados pela Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas, no mês de janeiro de 2021 e após 27 meses de consecutivos aumentos em termos homólogos, o consumo de cimento no mercado nacional registou uma redução de 2,8%, face ao mesmo mês do ano anterior.

“De igual modo, no que concerne ao licenciamento de edifícios habitacionais também se verificaram variações negativas no primeiro mês de 2021, com quebras de 10,9% no número de licenças de construção e reabilitação emitidas e de 20,6% no número de fogos licenciados em construções novas, em termos homólogos. Note-se que, apesar desta quebra em termos homólogos mensais, a média apurada nos três últimos meses apresenta um crescimento de 0,1% no total de licenças e de 6,3% nos fogos”, referem os dados da AICCOP.

Segundo os dados disponibilizados, “em janeiro 2021, o novo crédito concedido para aquisição de habitação, totalizou 968 milhões de euros, montante que traduz um ligeiro decréscimo de 0,9%, em termos homólogos.”

Relativamente ao valor de avaliação bancária na habitação, “auferido no âmbito da concessão de crédito, o ano de 2021 inicia num novo máximo histórico de 1.170€/m2 o que traduz um aumento de 6,1%, face ao apurado em janeiro de 2020”, indica a AICCOP.

Já sobre o Alentejo, revelam os dados que “o número de fogos licenciados em construções novas nos doze meses terminados em janeiro de 2021 totalizou 899, o que traduz um decréscimo de 7,8% face aos 975 alojamentos licenciados nos doze meses anteriores. Destes, 54,3% são de tipologia T3 e 23,6% de tipologia T4 ou superior. Quanto ao valor de avaliação bancária na habitação nesta região verificou-se, em janeiro, uma variação homóloga de -0,7% para 883€ por m2.”