Alentejo: PCP quer “urgente” aproveitamento do Aeroporto de Beja

Aeroporto de Beja

A Direção Regional do Alentejo do PCP defendeu hoje ser “urgente” o “aproveitamento e funcionamento regular” do Aeroporto de Beja, embora se mantenha “a necessidade de construção” de “um novo aeroporto internacional” em Alcochete (Setúbal).

Em comunicado divulgado hoje, a Direção Regional do Alentejo (DRA) do PCP “considera urgente o aproveitamento e funcionamento regular do Aeroporto de Beja nas suas diversas dimensões e potencialidades”.

Pela sua posição entre Lisboa e o Algarve, o Aeroporto de Beja assume, no atual quadro, uma importância estratégica para o país, para toda a região do Alentejo e para o seu desenvolvimento”, continuou a estrutura comunista.

Segundo a DRA, a utilização deste aeroporto “não substitui, tal como o PCP tem defendido, a necessidade de construção de um novo Aeroporto Internacional no Campo de Tiro de Alcochete”, mas “contribuirá para a incontornável eletrificação e modernização” da linha ferroviária do Alentejo.

E o recurso a material circulante moderno e rápido”, podendo também impulsionar “a requalificação da rede viária” alentejana, acrescentou a estrutura do PCP.

O aeroporto, a poucos quilómetros da capital do Baixo Alentejo, é “um dos quatro de que Portugal dispõe no território continental” e é um “importante ativo do país”, pelo que “deve ser equacionada com urgência” a sua utilização “no quadro do sistema aeroportuário” nacional, argumentou o PCP.

Com os limites de expansão do Aeroporto de Faro, reforça-se o papel do Aeroporto de Beja para o desenvolvimento destas regiões, quer seja na fixação de novas indústrias, no escoamento de produtos e do expectável aumento dos fluxos turísticos”, alegaram.

No mesmo comunicado, a DRA do PCP também defendeu que a eletrificação e modernização da Linha do Alentejo “deve constituir uma prioridade imediata, como pilar essencial de um sistema ferroviário para ligações nacionais e internacionais”.

Dispondo dos recursos financeiros necessários e tendo presente o interesse nacional dos projetos em questão, não seriam aceitáveis, nem compreensíveis, mais adiamentos que inviabilizassem a concretização destas tão antigas aspirações” do Alentejo, alertou o PCP.

Fonte: Lusa