Alentejo litoral quer mais dinheiro do Estado na redução do preço dos passes

Transportes

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) reclamou mais dinheiro do Estado na redução do preço dos passes sociais, medida em que os municípios daquela região já investiram “quase um milhão” de euros.

Numa declaração em Alcácer do Sal, Vítor Proença destacou que o apoio à redução do preço dos passes é “uma mais-valia para a população”, que “não pode ser interrompida”, mas pediu uma maior comparticipação do Estado, que “tem de injetar mais dinheiro nos cinco municípios” da CIMAL.

“Já temos cerca de 600 mil euros investidos este ano, diretamente do dinheiro das câmaras. E, no ano passado, foram 400 mil euros. Ao todo, as câmaras já investiram, de forma direta, quase um milhão de euros do seu ‘bolso’”, revelou Vítor Proença.

 O presidente da CIMAL preconizou que “isto só tem uma solução”, que passa pelo Orçamento do Estado “aumentar o valor para pagar aos operadores” de transportes que asseguram as viagens com origem ou destino nos cinco municípios da comunidade: Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira.

Vítor Proença falava, em Alcácer do Sal, na presença do secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, a quem apresentou o sistema de transporte urbano municipal, o Nónio, que já realizou “1.703 viagens”, entre 01 de junho e 25 de agosto.

Esta deslocação a Alcácer do Sal, cuja câmara é presidida precisamente por Vítor Proença (CDU), serviu para Jerónimo de Sousa “tratar de uma questão central para os trabalhadores e para o país”, que é “a dos transportes e da mobilidade das populações”.

“Hoje, fala-se muito das questões do ambiente. O maior passo dado foi a redução do preço da tarifa dos transportes e, consequentemente, maiores possibilidades de mobilidade das pessoas”, defendeu Jerónimo de Sousa.

À ‘boleia’ do autarca da CDU, que disse ser “fundamental” que o comboio de passageiros volte a parar em Alcácer do Sal, o secretário-geral do PCP aproveitou também para defender a melhoria do transporte ferroviário ao serviço das populações.

“É importante o reforço e a remodelação da linha férrea, mas simultaneamente criar condições para que os comboios parem aqui [em Alcácer do Sal] e a população fique, assim, melhor servida”, disse Jerónimo de Sousa.

Os utentes dos transportes públicos rodoviários do litoral alentejano viajam, desde setembro de 2019, para a Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo Central e Algarve por um valor máximo de 40 euros.

A redução tarifária contempla os utentes que se inscreverem na plataforma ‘online’ da CIMAL, onde se podem registar ou ter acesso imediato à renovação do passe.

A medida abrange os utentes dos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines, no distrito de Setúbal, assim como de Odemira (Beja), com assinaturas de linha da Rodoviária do Alentejo.