Alentejo: Adega Ervideira terminou o ano com um lucro de 130 mil euros

Ervideira

A adega alentejana Ervideira veio a público, esta semana, dar a conhecer os seus resultados económicos relativos aos não de 2020.

Segundo a empresa a Ervideira fechou o ano de 2020 com 130.000€ de lucro, representando 8% da faturação quando comparado com 2019.

Com grande parte do seu negócio a depender do canal Horeca e das lojas próprias (Monsaraz, Évora, Lisboa e a Adega) que no total provocou uma queda de 32% das vendas relativamente a 2019, o sucesso de 2020 esteve no grande exercício de gestão e contenção de custos levado a cabo pela empresa.

De acordo com Duarte Leal da Costa, Diretor Executivo da Ervideira, “para estes resultados positivos, contribuiu ainda o trabalho de vendas dos nossos parceiros habituais, bem como de novos parceiros, como clubes de vinho no Brasil, EUA e Inglaterra. Vimos também a produção de Álcool Gel no período do primeiro confinamento como uma oportunidade de negócio e uma bolha de oxigénio”.

Mas, e apesar do ano atípico e incerto que se viveu – e ainda se prolonga para 2021 – a empresa não baixou os braços, tendo lançado objetivos para os próximos anos. “Falamos da construção de painéis fotovoltaicos, suficientes para tornar a empresa autossustentável em matéria de energia 100% verde. Este é um investimento que representa 60.000 euros e que ficará amortizado em 5 anos”, explica o executivo.

Mas não ficam por aqui. “Fizemos um investimento de 300.000 euros na construção de um armazenamento de água de inverno, de 30.000 metros cúbicos, suficientes para regar o novo projeto de implantação de 18,5ha de vinhas com o objetivo de aumentar a produção de vinhos Topo de Gama”, continua. Importa recordar que nos últimos anos a empresa tem vindo a fazer um trabalho de inversão da pirâmide de produção, estando atualmente focada em vinhos premium.

Por último, a Ervideira tem projetada a construção de uma nova adega totalmente virada para os vinhos premium. O projeto, a cargo do Arquiteto José Maria Leal da Costa, envolverá um investimento de 1 Milhão de euros e será seguramente uma adega estratégica, pois virá reforçar o foco nos Vinhos premium.

Como dizia o meu Avô, ter lucro não é sinal de ter o dinheiro no bolso, mas sim uma garantia de sustentabilidade do presente e do futuro da Empresa. Temos por isso que olhar permanentemente para o muito curto, médio e longo prazo, de forma consistente e sustentável”, recorda Duarte Leal da Costa.