Alcácer do Sal: Três indivíduos detidos pela GNR após serem apanhados a apanhar pinhas mansas

As ocorrências da GNR

A Guarda Nacional Republicana, através do Posto Territorial de Alcácer do Sal, no dia 28 de novembro, deteve três homens, com idades compreendidas entre os 20 e os 27 anos, por furto de pinhas mansas, Pinus pinea, na localidade de Alcácer do Sal.

Segundo a informação disponibilizada pela GNR, “no decorrer de uma ação de patrulhamento, os militares da Guarda, detetaram três homens que estariam a apanhar pinhas mansas”, acrescentando que “após a abordagem, verificaram que os suspeitos não eram os proprietários do terreno, facto que levou à sua detenção.”

“Da ação resultou ainda a elaboração de um auto de contraordenação por colheita fora do período legal e a apreensão das referidas pinhas de pinheiro-manso”, indicou ainda a GNT

Os detidos foram constituídos arguidos e os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Grândola.

A GNR relembra que “o pinheiro-manso (Pinus pinea) é uma espécie florestal com um crescente interesse económico, cuja importância do comércio externo de pinha e de pinhão tem contribuído para a promoção de importantes dinâmicas económicas à escala regional, uma vez que o pinhão produzido em Portugal é de todos o mais valorizado pelas suas características nutricionais. No entanto, a colheita de pinhas de pinheiro-manso é proibida entre 1 de abril e 1 de dezembro e, ainda que esteja caída no chão, a sua apanha está interditada por se encontrar em época de defeso, salvaguardando assim o crescimento e desenvolvimento da pinha e do pinhão e evitando a colheita da semente com deficiente faculdade germinativa e mal amadurecida.”