Alandroal tem “capacidade de produzir produtos biológicos de grande qualidade”, afirmou autarca

João grilo
Foto: Nuno Mendes

Como já noticiámos, a localidade de Alandroal recebe este fim de semana, o festival “Soil to Soul”, um evento que pretende alertar a importância da regeneração dos solos para uma alimentação saudável e um futuro sustentável.

O evento decorre no Castelo da vila de Alandroal, é promovido pela câmara municipal deste concelho alentejano e pela equipa do projeto “Soil to Soul”, de Zurique, na Suíça.

O festival “Soil to Soul Alandroal – Somos o que comemos” junta gastronomia, música e muita animação, reunindo chefes, produtores e artistas, numa iniciativa de sensibilização para a conservação dos recursos naturais, sociais e culturais.

O presidente da Câmara Municipal de Alandroal, João Grilo explicou que “o objetivo deste festival é promover uma das características do concelho que é diferenciadora, que é esta capacidade de produzir produtos biológicos de grande qualidade, assentes em agricultura sustentável, em respeito com o solo, em respeito com a natureza, e promover este princípio um pouco como um retorno às tradições e valorizar quem ainda preserva as tradições.

Temos os novos investidores, como a Terramay que decidiram pegar numa herdade com mais de 500 hectares e transformar toda a produção em biológica e sustentável, que é um exemplo importante e que nós sentimos que devemos apoiar e ao mesmo tempo, temos todo um conjunto de outros projetos biológicos a acontecer e depois temos todo um conjunto de pequenos produtores, pequenos agricultores que que insistem, persistem com coragem nas suas pequenas explorações em fazer e fazer também uma agricultura muito natural e que precisam de apoio e precisam de ser valorizados” disse João Grilo.

O autarca frisou que “este evento tem a particularidade de conjugar aspetos da produção biológica com a gastronomia de topo. Temos chefes convidados para fazer interpretações diferentes do que é o biológico. Temos produtores biológicos, da região e de todo o país para promover também este tipo de produtos, as pessoas têm muita vontade, sabem que estão a consumir melhor e diferente e fazem disso uma aposta. Nós queremos fazer aqui um trabalho com a comunidade, com as escolas, com as pessoas, para que que esta filosofia e esta cultura seja também uma marca do concelho“.