Alandroal: Plano de Intervenção de Terena “é caminho certo, porque é preciso respeito” pelo património

Diretora de Cultura

Conforme ontem noticiámos, a Igreja da Misericórdia de Terena, no concelho de Alandroal, recebeu a apresentação do Plano de Intervenção de Terena.

Um projeto que é coordenado pelo Arquiteto Manuel Aires Mateus e que prevê revitalizar a zona histórica da vila de Terena.

Presente na apresentação esteve a Diretora Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, que começou por dizer que “o castelo de Terena, dos 3 castelos do concelho, é talvez o símbolo mais antigo, isolado e intocado”, acrescentando que “sentimos como se fosse um território quase intocado, de uma antiguidade antiga, em que esta ausência de investimento, de dinamismo e recuperação, tráz paradoxalmente uma riqueza e que nos põe perante um paradoxo que não é fácil de resolver”.

Considera Ana Paula Amendoeira que “é muito importante a humildade na intervenção, o conhecimento o mais possível a montante do sítio onde se vai intervir e nem sempre isso é tido em conta, e por vezes investe-se imenso dinheiro e o que sentimos é que os sítios perderam a sua alma”.

Já sobre a intervenção que está a ser projetada para Terena, diz Ana Paula Amendoeira que “é caminho certo, porque é preciso respeito, estudar e conhecer, porque não temos aqui objetos, temos uma estratégia de séculos implementada na região de ocupação e ordenamento de um território a que vamos ter de voltar para aprender”, referindo também que “do que pude ver do projeto, muitas dessas visões atualizadas foram integradas neste projeto”.

A Diretora Regional de Cultura do Alentejo disse que uma das propostas da União Europeia é “voltar às questões da cultura como pilar central nos processos de desenvolvimento, voltar a colocar a beleza no centro dos processos de desenvolvimento de estratégias”.