Alandroal com um orçamento para 2021 de 15,5M€. É “o mais desafiante dos orçamentos” refere o Autarca

João Grilo, Presidente de Alandroal

A Câmara Municipal de Alandroal aprovou, em sessão ordinária de câmara do dia 25 de novembro, as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2021.

De acordo com a informação disponibilizada, o documento foi aprovado com uma abstenção da vereadora da CDU e um voto contra do vereador do DITA. “Nenhuma força política apresentou qualquer contributo para o orçamento no exercício do direito de oposição”, realça a Autarquia.

De salientar que o documento agora aprovado será submetido à aprovação da Assembleia Municipal durante o mês de dezembro.

Segundo refere a autarquia, “os 15.515.894,80 euros [do Orçamento Municipal] representam um aumento de cerca de 3,26 milhões de euros em relação ao de 2020, provenientes de um aumento das transferências do Orçamento de Estado e, sobretudo, dos fundos comunitários assegurados pelo município para as obras a executar.”

Considerando todos os financiamentos conseguidos, o município espera “executar 3,7 milhões de euros de fundos do ALENTEJO 2020 e do Turismo de Portugal, mais cerca de 500 mil euros da Linha EQBEI, em obras tão emblemáticas como a Consolidação e Restauro da Fortaleza de Juromenha, a conclusão da Escola Básica Diogo Lopes de Sequeira do Alandroal ou a Praia Fluvial das Azenhas D´El rei, em Montejuntos.”

Ainda de acordo com a Autarquia, “estes números são o reflexo de uma forte aposta do executivo na captação de financiamentos para os projetos estruturantes desde o início do mandato”, acrescentando que “apesar de ter tomado posse numa altura em que as principais linhas de financiamento do atual quadro comunitário estavam já negociadas e comprometidas, o atual executivo conseguiu, até agora, através de 45 candidaturas apresentadas desde Novembro de 2017, a captação de cerca de 8,7 milhões de euros de fundos comunitários, correspondendo a mais de 13,3 milhões de euros de investimento total para o concelho.”

O Município de Alandroal, explica que “o orçamento para 2021 será particularmente marcado pela resposta à pandemia. O município prevê continuar a forte aposta preventiva de apoio às autoridades de saúde e segurança, aos bombeiros e às IPSS com valência de lar, bem como a toda a população com a continuação da distribuição de máscaras. Fica em aberto a possibilidade de apoios ao tecido económico local em função da evolução da situação e dos apoios do Governo.”

O presidente João Grilo refere que “este é o mais desafiante dos orçamentos que já tive pela frente porque é preciso investir e realizar obra como se estivéssemos a viver uma situação normal, num contexto de pandemia, muito variável e exigente, que a qualquer momento obriga a mudar prioridades e em que o apoio à população tem que ser prioridade”. E acrescenta que “só teremos sucesso se trabalharmos como um todo em torno destes objetivos” pelo que lamenta que “perante os antagónicos desafios do desenvolvimento e da pandemia nenhuma força política da oposição, das que daqui a menos de um ano vão pedir votos às pessoas, tenha querido apresentar qualquer ideia ou contributo para melhorar a resposta”.