Quarta-feira, Fevereiro 8, 2023
Pub

Alandroal: Autarquia lança Plano de Poupança Energética de curto e médio prazo

- Publicidade -
- Publicidade -

A Câmara Municipal de Alandroal lançou, recentemente, um Plano de Poupança Energética para curto e médio prazo

A autarquia explicou que “o cenário de crise energética global, obriga os países e as organizações a tomar medidas de poupança de energia e acelerar processos de transição energética para energias limpas” acrescentando que o ” Município de Alandroal tem vindo a adotar várias medidas para acelerar a transição para as energias renováveis, promover a eficiência dos recursos hídricos e a mobilidade sustentável no território, ao mesmo tempo que procura criar condições para atrair investimento nestas áreas, estratégicas para o desenvolvimento futuro.”

O município está envolvido no projeto conjunto da CIMAC para o aumento da eficiência energética na iluminação pública, já implementado, e desenvolveu projetos de eficiência energética para os edifícios municipais de maior consumo, que aguardam financiamento comunitário.

O recurso a tecnologia LED em todas as substituições de luminárias e em todos os novos projetos municipais e a responsabilização pelos próprios consumos de todas as associações do concelho em edifícios municipais cedidos são outros exemplos de esforços já em curso para a redução dos consumos.

A autarquia realçou que “ao nível do consumo energético da frota municipal, foi feito, nos últimos anos, um esforço de renovação por viaturas mais modernas e menos poluentes, superior a um milhão de euros de investimento, com impacto positivo nos consumos globais e nas restantes despesas associadas a manutenções e reparações. O município está agora a apostar na aquisição de viaturas hibridas e elétricas.”

“Do lado da gestão da água, foram feitos investimentos significativos na instalação de um sistema de Zonas de Medição e Controle de Caudal (ZMCs) que ajudam a detetar e sinalizar de forma precoce as fugas e ruturas que acontecem com grande regularidade numa rede obsoleta e envelhecida por cerca de 50 anos sem intervenções de fundo de renovação” acrescentou a edilidade.

“Devido aos compromissos de equilíbrio orçamental e gestão de fundos comunitários, o município pratica preços da água que asseguram uma taxa média de cobertura de custos dos sistemas de água, saneamento e resíduos na ordem dos 90%. Um processo fundamental para garantir a capacidade de intervenção constante no sistema, mas que também transmite aos munícipes uma ideia do custo real de captação, tratamento e disponibilização deste recurso que pode contribuir para aumentar a sensibilidade e os níveis de poupança” lê-se em nota de imprensa enviada à nossa redação.

“Há muito que a autarquia reduziu quase a zero o consumo de água em fontes e fontanários e é pioneira na implementação de arranjos urbanísticos que promovem o aumento do ensombramento para combater ondas de calor com recurso a plantas autóctones mais resilientes e com menores necessidades de água, bem como o recurso a técnicas ancestrais de rega para apoiar o crescimento dos milhares de árvores que estão a ser plantadas por iniciativa municipal” acrescentou.

Contudo, a situação de seca que a região e país viveram este ano, a tendência crescente para que situações desta natureza sejam mais frequentes e mais severas à medida que aumentam os impactos da crise climática global e a particular vulnerabilidade da maior parte do território do concelho aos seus efeitos, levam-nos a acelerar processos, a definir algumas medidas urgentes de mitigação, de curto prazo, sem esquecer o planeamento de ações mais profundas, de médio e longo prazo, em grande parte a serem neste momento definidas no Plano Municipal de

Adaptação às Alterações Climáticas.

Neste documento são vertidas as orientações do governo e da CIMAC que se adaptam à nossa realidade local e medidas especificas resultantes do conhecimento dessa mesma realidade e dos processos em curso na autarquia.

As medidas abrangem transportes, edifícios, iluminação pública e relação com o associativismo e incluem a redução da iluminação de Natal ao período de 16 a 25 de dezembro, noite de passagem de ano e noite de Reis, habitualmente, de 08 de dezembro a 06 de janeiro, e das 18 às 00 horas reduzindo em 75% os consumos energéticos habituais da quadra natalícia.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

- Publicidade -

Mais notícias

Corpo de jovem em estado de decomposição encontrado no rio Mira em Odemira

O corpo de um jovem de 20 anos em adiantado estado de decomposição foi encontrado hoje no rio Mira, no concelho de Odemira, distrito...

Redondo: Biblioteca Municipal mostra o “Carnaval através dos Tempos”

A Biblioteca Municipal de Redondo tem patente, até dia 28 de fevereiro a exposição documental e fotográfica "Carnaval através dos Tempos". Nesta exposição mostra o...