Alandroal: Apresentado o projeto que vai transformar Terena e que deverá ultrapassar os 5M€ de investimento

Projeto de Terena

A Igreja da Misericórdia de Terena, no concelho de Alandroal, recebeu, esta quarta-feira, a apresentação do Plano de Intervenção de Terena.

No ato de apresentação estiveram presentes, para além do presidente da Câmara Municipal de Alandroal, João Grilo, estiveram Ana Paula Amendoeira, diretora Regional de Cultura do Alentejo, Manuel Aires Mateus, Arquiteto e coordenador do Plano de Intervenção de Terena, Sérgio Mah, especialista em curadoria e programação cultural, entre outros convidados.

Um ambicioso projeto que prevê reabilitar a zona histórica desta vila do concelho de Alandroal, num projeto que pode superar os 5 milhões de euros.

O presidente da Câmara Municipal de Alandroal, João Grilo, em declarações aos jornalistas, começou por explicar que “este desafio vem na sequência do que nós definimos como prioridade ao património, temos três centros históricos no concelho de Alandroal, e tínhamos que começar por algum lado”, acrescentando que “o processo de Juromenha, ao longo destes quatro anos, partiu do zero, e está neste momento dependente apenas do visto prévio do Tribunal de Contas e não podíamos deixar de começar a olhar para os outros centros históricos, em particular o de Terena, numa perspetiva de valorização também, pois temos três núcleos patrimoniais que merecem um olhar especial como alavancas de desenvolvimento sustentável do concelho, como fatores de recuperação de património, ajudar a fixar pessoas e ajudar a criar dinâmicas. O património está cá, há centenas de anos, a pedir para ser valorizado e recuperado, e é quase que uma obrigação histórica recuperá-lo”.

O autarca vincou que “este projeto é o resultado do trabalho de uma equipa vasta, de um conjunto de especialistas de várias áreas, e o que estamos a apresentar hoje resulta de uma profunda reflexão e trabalho, sobretudo nos últimos dois anos, para hoje apresentar publicamente o estudo prévio do que pode ser uma valorização da antiga Misericórdia e dos antigos Paços do Concelho, em ligação com o castelo e em ligação com o novo núcleo que é o museu, mas tudo numa linha de comunicação que depois remete para o próprio centro histórico”.

João Grilo salientou que “o Castelo de Terena está bem conservado, só precisamos  de criar condições de segurança para que possa ser visitado, temos outros edifícios integrados no Centro Histórico, que precisam de ser valorizados e, para finalizar, queremos criar um museu, uma ideia que assumi, há algum tempo, como uma prioridade, pois queremos trazer para o concelho a comunicação e a memória do Endovélico. E faz todo o sentido que seja em Terena, porque é o local de origem do culto ao Endovélico, e para além disso, queremos que este seja um museu representativo do espólio cultural de todo o concelho, e que seja um fator de atratividade a nível regional nacional, integrado nas redes de museus nacionais” explicou o Presidente da Câmara de Alandroal.

Já sobre possíveis metas temporais para que o projeto esteja em andamento, João grilo disse que “todos os processos têm um caminho, a nossa abordagem no Alandroal é não pedir investimentos sem eles estarem devidamente estruturados. Quando estiverem devidamente estruturados, iremos aos locais certos para dizer que temos os projetos, que podemos avançar, e receber os fundos comunitários ou os fundos do PRR, ou os que estiverem à disposição, para avançarmos de imediato“.

O edil acrescentou ainda que “este é um estudo prévio, é necessário desenvolver um conjunto de projetos e de um conjunto de intervenções. Queremos até ao final do ano ter todos os projetos concluídos, e no início de 2022, no arranque do próximo quadro comunitário, ter estes projetos concluídos para estarem em condições de ser candidatados“.

Relativamente ao valor do Projeto de Intervenção de Terena, o autarca justificou que “neste projeto há ainda uma grande margem de variabilidade, mas não será um projeto inferior a 5 milhões de euros. Não será inferior do que o investimento inicial que vamos fazer em Juromenha. O conjunto das três intervenções não ficará abaixo desse valor e, portanto, é exemplificativo de um esforço grande que o município faz para recuperar o seu património“.

Fique, de seguida com as imagens da apresentação deste projeto, numa reportagem de Hugo Calado: