Alandroal: Acordo entre Autarquia e Ministério da Educação vai permitir concluir Escola Básica, um investimento de 2 milhões de euros

A conclusão da Escola Básica Diogo Lopes de Sequeira, no Alandroal, vai ser uma realidade, anunciou, esta sexta-feira, o Presidente da Câmara Municipal de Alandroal.

Será um investimento de 2 milhões de euros de investimento para construir pavilhão gimnodesportivo, bloco de pré-escolar e arranjos exteriores com estacionamento.

Segundo a informação que nos chegou, o Município de Alandroal e o Ministério da Educação formalizaram, na passada terça-feira, 30 de Junho, o acordo de colaboração para a conclusão da obra da Escola Básica Diogo Lopes de Sequeira, na sede de concelho, criando uma solução para concluir um processo que se arrastava há 10 anos desde que, em 2009, as obras em curso foram interrompidas.

De acordo com João Grilo, Presidente da Câmara Municipal de Aalandroal, “a intervenção consiste na construção de um novo pavilhão gimnodesportivo que sirva a comunidade escolar e a restante comunidade (o existente está há vários anos sem poder ser utilizado, tem algumas estruturas de amianto na cobertura e deverá ser demolido), a construção de um novo bloco de pré-escolar com duas salas (o ensino pré-escolar funciona atualmente, de forma provisória, nos antigos lavadouros municipais) e todos os arranjos exteriores associados a estas duas componentes.”

Ao que sabemos, o financiamento resultará de cerca de 1 milhão e 700 mil euros de fundos comunitários assegurados pelo município através do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial (PDCT) da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC) enquanto que a contrapartida nacional de cerca de 300 mil euros será dividida em duas partes iguais de 150 mil euros (7,5%) entre o município e o Ministério da Educação. A obra será lançada e executada pelo município.

Para João Grilo refere que, “há dois anos e meio, quando assumimos novamente funções, tinha-se perdido o trabalho realizado previamente e que apontava para uma solução deste tipo, não havia qualquer solução alternativa e foi preciso reformular projetos técnicos, lutar pelos fundos comunitários e pelo acordo agora assinado para podermos apresentar ao concelho a solução que tínhamos prometido. Com 150 mil euros de fundos próprios vamos investir dois milhões de euros na conclusão da rede escolar do concelho e na resolução do último grande problema que lhe estava associado. Este deve ser um momento de grande satisfação para todos.