Agricultores preocupados com a praga de javalis e pedem que se autorize a caça para minimizar estragos

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), a Associação Nacional de Proprietários Rurais Gestão Cinegética e Biodiversidade (ANPC) e a Associação Nacional dos Produtores de Milho e Sogro (ANPROMIS), vieram a público, esta semana, apelar ao Governo que tome medidas urgentes para reduzir estragos causados pelos javalis nas culturas.

Preocupados com os avultados estragos que os javalis causam em culturas agrícolas, estas três entidades apelaram ao Governo para que sejam criados mecanismos que permitam a realização de acções de controle de densidades, mediante a caça, de modo a minimizar estragos e a garantir a produção agrícola e a sustentabilidade das explorações.

Na comunicação feita pelas três associações, estas deixam claro que “a contenção da pandemia causada pelo COVID-19 é uma prioridade e um imperativo Nacional e as medidas decretadas, incluindo a declaração de Estado de Emergência, revelam-se absolutamente necessárias. Mas igualmente crucial é manter o funcionamento basilar da economia, mormente das actividades essenciais para o fornecimento de produtos agrícolas, quer para alimentação humana, quer para alimentação animal.”

As Associações de Agricultores relatam que os “estragos estão a ocorrer de uma forma generalizada por todo o país, sendo essencialmente afectadas culturas como o milho, as hortícolas, os olivais, as vinhas e outras plantações.”

“Sendo um imperativo Nacional, neste período de emergência, garantir a produção agrícola, importa criar condições para que sejam autorizadas, com a máxima brevidade, acções de correcção de densidades de javalis que afectam de forma indiscriminada explorações empresariais e familiares, de pequena, média e grande dimensão”, referem ainda as Associações.

Assim, estas entidades que representam alguns sectores da agricultura pedem medidas como: “Criar condições para que, durante o Estado de Emergência, sejam permitidas acções de correcção de densidades de javalis para prevenção e minimização de estragos nas culturas, levadas a cabo por caçadores credenciados para o efeito pelo ICNF;

Criar condições para que o ICNF possa emitir as necessárias credenciais, sempre que estas se justifiquem.”