ADRAL defende inclusão de nova escola de saúde do Alentejo no Plano de Recuperação e Resiliência

Adral

A Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL) defende a inclusão da Escola de Saúde e Desenvolvimento Humano da Universidade de Évora e dos acessos que liguem o Alto e Baixo Alentejo aos futuros serviços de saúde nascidos em prol do novo Hospital Central do Alentejo no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

A Universidade de Évora criou recentemente uma Escola de Saúde e Desenvolvimento Humano e um Centro Académico Clinico. Estes dois novos projetos destinam-se a assegurar o ensino graduado nas áreas científicas ligadas às Ciências da Saúde, nomeadamente, Saúde Pública, Saúde da Comunidade e Saúde da Família. Esta nova escola terá como missão contribuir para que a Saúde não seja vista como uma ciência isolada, pois o ser humano deverá ser entendido como um todo e por isso não se deverá olhar para uma pessoa exclusivamente com o foco numa parte. José Calixto, presidente d ADRAL sublinha que, já em 1947 a OMS, definiu saúde como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”

O PRR trata-se de um plano de aplicação nacional, com um período de execução até 2026 com recursos que ascendem a cerca de 14 mil milhões de euros em subvenções, contando com um conjunto de reformas e de investimentos que serão uma oportunidade para o país retomar o crescimento económico. Este plano encontra-se em consulta pública até amanhã, dia 28 de fevereiro.