A construção do novo Hospital Central do Alentejo é um “grande esforço do orçamento nacional”, afirmou António Costa

António Costa

Como já noticiámos, decorreu esta segunda-feira, nas instalações da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, em Évora, a assinatura da adjudicação da obra do novo Hospital Central do Alentejo.

Um ato que contou com a presença do Primeiro Ministro, António Costa, da Ministra da Saúde, Marta Temido, da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, o presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Robalo, a Presidente do Conselho de Administração do Hospital de Évora, bem como os Deputados da Assembleia da República eleitos pelo Círculo de Évora, entre outras entidades regionais.

O contrato foi assinado com o grupo espanhol Acciona, que venceu o concurso laçado há pouco mais de um ano.

Na sua intervenção, o Primeiro-Ministro, António Costa destacou a importância do novo Hospital Central do Alentejo, que terá um custo de 200 milhões de euros, dos quais 40 milhões oriundos de fundos europeus, afirmando que “o apoio da União Europeia é fundamental, mas o grande esforço é do orçamento nacional. E é um esforço que é necessário e que temos de continuar a prosseguir”.

Já sobre a adjudicação em concreto deste novo Hospital, António Costa referiu que é “um bom testemunho de como a resposta à crise que estamos a viver é completamente diferente da resposta que se deu à crise que vivemos em 2011”, pois de acordo com o Governante “nessa altura a resposta à crise foi a de suspender o investimento público, designadamente, a construção deste hospital. A resposta que estamos a dar a esta crise é precisamente a oposta”, porque “num momento de crise tão profunda” o Estado “tem de mobilizar os seus recursos, os recursos europeus e, assim, contribuir para a melhoria económica do País”.

Recorde aqui a reportagem fotográfica da cerimónia de assinatura da adjudicação da obra.