1º de dezembro em Vila Viçosa: “Queremos lembrar a Portugal que daqui renasceu Portugal” (c/som)

1º de Dezembro

Vila Viçosa, no distrito de Évora, recuou, esta quarta-feira, até ao ano de 1640, altura em que os 40 Conjurados libertaram o seu povo de 60 anos de domínio de Castela e assim restauraram a Independência de Portugal, tendo depois D. João IV sido aclamado Rei de Portugal.

Um facto histórico que voltou a ser recordado em Vila Viçosa com várias atividades promovidas pela autarquia, como um cortejo, um concerto de música clássica e ainda a apresentação de um livro.

Em declarações a’ODigital.pt o presidente da Câmara Municipal de Vila Viçosa, Inácio Esperança, referiu que estas comemorações “são um reavivar de tradições muito antigas em Vila Viçosa que estavam adormecidas, a que quisemos obviamente dar vida e queremos que haja continuidade”.

O autarca explicou que o seu é “objetivo tornar esta semana do 1 a 8 de dezembro a Semana de Vila Viçosa, porque nela estão temáticas e acontecimentos importantíssimos para Vila Viçosa e onde Vila Viçosa teve e tem um papel muito relevante, portanto, queremos obviamente fazer aqui as comemorações, independentemente de elas se realizarem um pouco por todo o país, mas queremos que aqui seja cada vez mais uma centralidade do 1º de dezembro”.

Questionado se era intenção do Município trazer para Vila Viçosa as comemorações nacionais do 1º de dezembro, que por norma se realizam em Lisboa, o edil revelou que “sim, temos essa intenção, pelo menos num ano e já estamos a encetar contactos com a Sociedade Histórica da Independência de Portugal, que é liderada pelo Dr. Ribeiro e Castro para em 2023 ou em 2024 fazer aqui as cerimónias nacionais, no entanto, sabemos que elas irão obviamente ter tendência para decorrer em Lisboa, mas um ano ou outro queremos trazê-las cá para lembrarmos a Portugal que daqui renasceu Portugal e que foi daqui que saiu o rei que no fundo substituiu D. Filipe na governação do país e devolveu a Portugal a independência”.

Inácio Esperança disse ainda que “temos a ideia de criar aqui uma marca, porque efetivamente daqui renasceu Portugal e aqui está a Padroeira de Portugal, ou seja, são duas ideias muito fortes que queremos que marquem, não só as comemorações, mas que marquem também Vila Viçosa e até em termos nacionais e internacionais porque efetivamente foi daqui que renasceu Portugal.”

Fique de seguida com as imagens do cortejo e do concerto que decorreu no Panteão dos Duques, numa reportagem de Hugo Calado: